Cerca de 2 mil pessoas visitam obras da Mostra de Arte Afro-Brasileira

Sexta, 30 Novembro 2018 11:28 por Editor Comunicação Social
Artista plástico CACosta, de Ourinhos, fala sobre suas obras para alunos do Colégio Estadual Rui Barbosa Artista plástico CACosta, de Ourinhos, fala sobre suas obras para alunos do Colégio Estadual Rui Barbosa

A IV Mostra de Arte Afro-Brasileira promovida pela Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) em parceria com o Serviço Social da Indústria (Sesi) encerrou-se na sexta-feira, 30 de novembro. A estimativa da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade é que cerca de 2 mil pessoas tenham visto obras da Mostra nas quatro cidades em que o evento foi realizado.

Aberta no dia 5 de novembro no Campus Luiz Meneghel, de Bandeirantes, a IV Mostra de Arte Afro-Brasileira também foi realizada nos municípios de Jacarezinho, Santo Antônio da Platina e Cornélio Procópio. Nas solenidades de abertura, apresentações culturais de música, teatro, dança e poesia movimentaram e convidaram o público a prestigiar o evento.

Foram expostas obras dos artistas Edmilson Donizetti do Nascimento, de Jacarezinho; Marina Moura, de Jacarezinho; Selma Fogiatto, de Jacarezinho, Jucelino Biaginni, de Jacarezinho; Joãozinho Caldeira, de Jacarezinho; Rodrigo Casteleira, de Maringá; Victor José Neli, de Londrina, Thiago Ezídio, de Cornélio Procópio, de Cornélio Procópio; e Clóvis Afonso Costa, (CACosta), da cidade de Ourinhos.

Escolas da rede pública e privada, além de outras instituições dos municípios da região Norte do Paraná visitaram os espaços da Mostra para visitas guiadas pelas estagiárias da Universidade. A professora Silvana Mara Francisquinho, do CEEBJA Profª Geni Sampaio Lemos, de Jacarezinho, comenta a experiência de levar a turma de estudantes para visitar à Mostra.

“Nos dias de hoje, é fundamental a exposição de arte afro-brasileira em espaços como este. Ainda existe preconceito, por isso é importante divulgar e conhecer para não discriminar. Para os alunos, este conhecimento é muito importante para desmistificar o racismo que existe. Ao visitar a mostra, eles têm a oportunidade de absorver este conhecimento de forma mais profunda”, afirma.

O estudante do CEEBJA, José Vinícius de Souza Oliveira, foi um dos estudantes a visitar à IV Mostra de Arte Afro-Brasileira UENP/Sesi. “São obras que representam a cultura indígena e afro-brasileira, que muitas pessoas julgam sem conhecer, sem saber da cultura do povo. São pinturas e esculturas que nos fazem pensar e mostrar que todas as pessoas devem ser tratadas por igual”, comenta.

A estagiária do Museu Sacro Histórico Dom Ernesto de Paula, de Jacarezinho, Ana Paula, guiou algumas das visitas realizadas à Mostra. Ela analisa as reações do público e o peso do evento para a comunidade. “Muitas pessoas chegam à mostra com receio, porque reconhecem as figuras do Candomblé, tão demonizadas pelo preconceito. Mas, após a explicação, quando saem, muda a expressão. O receio vira respeito. É fundamental que mais contatos como este continuem sendo promovidos para quebrar mitos e combater o racismo”, relata.

Para o diretor de cultura da UENP, James Rios, a Mostra cumpre com seu objetivo. “Conseguimos ampliar os esforços já realizados nos primeiros anos deste evento. Ela cumpre com o objetivo de ser um espaço de resistência e oportunidade para a comunidade negra apresentar seus trabalhos. Ela também faz com que a população e a comunidade acadêmica reflitam sobre as relações étnico-raciais por meio da arte”, finaliza.

Última modificação: Terça, 04 Dezembro 2018 16:58
Compartilhe: