A XV edição da Mostra de Teatro EnCena de Jacarezinho será aberta domingo, 4 de agosto. O evento acontece até o dia 10 de agosto na cidade com apresentações de teatro e oficinas abertas à comunidade. A mostra é realizada pela Prefeitura de Jacarezinho, pelo SESC e pela Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), por meio da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura. 

É para anotar na agenda. De 19 a 25 de agosto, será realizada a 13º Mostra de Teatro EnCena, em Jacarezinho. Neste ano, sete peças estão selecionadas para o evento que terá início no sábado, às 9h, com um cortejo pela rua Paraná, no centro da cidade. A divulgação das peças da Mostra, que é uma realização da Prefeitura de Jacarezinho, em parceria com o Serviço Social do Comércio (Sesc) e a Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), com apoio do Serviço Social da Industria (SESI), Instituto Federal e Conjunto Amadores de Teatro (CAT), foi realizada durante solenidade realizada no Sesc na tarde de quinta-feira (10/08).

A XI Mostra de Teatro de Jacarezinho – EnCena - está chegando aos campi da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP). Nesta segunda-feira, 31, às 20 horas, o Campus de Cornélio Procópio receberá a peça "Este Lado para Cima - Isto não é um espetáculo", da Brava Companhia (São Paulo). Na terça-feira, 1° de setembro, é a vez do Campus Luiz Meneghel, de Bandeirantes, receber o mesmo espetáculo, às 16h. Também na terça-feira, fechando a programação do EnCena 2015, o Campus de Jacarezinho (CCHE/CLCA) receberá, às 20h, a peça "O Baile dos Anastácio", da Companhia Oigalê, do Rio Grande do Sul. Os espetáculos são gratuitos.

“Esta peça me cheira a sepulcro!”. E foi com esse sentido filosoficamente apurado que o Grupo Delírio Cia de Teatro apresentou-se na noite de terça-feira, 25, trazendo uma atmosfera sombria e bem-humorada ao palco do XI EnCena – Mostra de Teatro de Jacarezinho. O elenco, formando por Diogo Biss, Robysom Souza e Thierry Lummertz, encenou a peça “Memórias Póstumas + Machado de Assis”, baseado na obra do escritor brasileiro Machado de Assis. O público se deliciou com o sabor das reflexões machadianas, sempre afiadas e sarcásticas. Foram 70 minutos de intensas reflexões e apimentadas indiretas, o que valeu a fila que dobrou a esquina do Conjunto Amadores de Teatro (CAT).