NOTA À COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA

Terça, 18 Setembro 2012 16:41 por Cristiano Oliveira

A Universidade Estadual do Norte do Paraná – UENP foi criada pela Lei nº 15.300, de 28 de setembro de 2006, com sede na cidade de Jacarezinho, Estado do Paraná, e campi nas cidades de Jacarezinho, Bandeirantes e Cornélio Procópio, onde estão localizadas as instituições de ensino superior: Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de Jacarezinho - FAFIJA, Faculdade Estadual de Educação Física e Fisioterapia de Jacarezinho - FAEFIJA, Faculdade Estadual de Direito do Norte Pioneiro - FUNDINOPI, Faculdade Estadual Luiz Meneghel - FFALM e Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de Cornélio Procópio - FAFICOP, que a integram.

A UENP tem como missão atuar na produção do conhecimento científico em suas mais diversas formas e no processo de desenvolvimento regional e do Estado do Paraná, participando ativamente no trabalho de construção integral da sociedade e de seus cidadãos, buscando sempre a melhoria da qualidade de vida, promovendo a democracia, a cidadania e o desenvolvimento sócio-econômico, pela valorização e socialização do conhecimento e do saber historicamente construído e constituído.

Seus vínculos com a sociedade são viscerais e sua própria criação dependeu desta parceria. Por isso, a UENP pretende não apenas ir ao encontro das demandas da sociedade e com ela dialogar, mas antes, ser um elemento de construção e transformação da realidade regional. Ao produzir, discutir e difundir conhecimentos, a UENP busca contribuir efetivamente para as transformações sociais. Desta forma, seu Projeto Político-Pedagógico e seu Plano de Desenvolvimento Institucional apontam para esse compromisso.

A UENP, nascida sob a égide da força cooperativa e da vontade da sociedade, acredita que essa integração, assentada em princípios éticos e em reflexões sobre os problemas sociais, é um elemento catalisador para sua institucionalização definitiva e compromissada.

Desde a primeira consulta à eleição para a reitoria o jornal Tribuna do Vale tem feito oposição sistemática e permanente a esta gestão, e mais recentemente veiculado notícias inverídicas e fantasiosas sobre a administração superior da Universidade.

A UENP, em consonância com a tradição democrática do nosso país, sempre respeitará a liberdade de expressão, imprensa e manifestação do pensamento, necessárias para a formação de uma opinião pública consistente e crítica. Todavia, toda vez que houver abuso, a UENP buscará as vias judiciais para ver responsabilizadas as pessoas físicas ou jurídicas que cometerem abusos e violarem a honra objetiva da instituição.

Tendo isso em vista, atualmente a UENP maneja duas Ações de Indenização por Danos Morais em face do jornal Tribuna do Vale, e do seu proprietário Benedito Francisquini, além de mais de uma dezena de ações individuais, inquéritos policiais, e ações penais privadas que são movidas pelos particulares ofendidos pelas matérias veiculadas no jornal.

Da mesma forma, a UENP busca o rastreamento dos e-mails anônimos, junto aos órgãos policiais e judiciários, para responsabilizar eventuais danos à honra e a imagem das pessoas e da instituição.

A UENP, até o presente momento, teve as contas de todos os exercícios financeiros anteriores aprovados pelo órgão de fiscalização e controle do Estado do Paraná, que é o Tribunal de Contas do Estado. Da mesma forma, a UENP, não foi ré em qualquer ação civil pública, ou sofreu qualquer condenação judicial, por qualquer suposta irregularidade, o que evidencia, mais uma vez, que se trata de uma instituição comprometida com a probidade em seus atos de gestão.

A UENP recomenda que todos os particulares, prestadores de serviços, pessoas físicas ou jurídicas, servidores ou colaboradores de um modo geral, que de qualquer forma foram envolvidos em notícias falsas e injuriosas, seja da mídia impressa, da mídia eletrônica, ou em redes sociais, que procurem os órgãos judiciais para terem o seu patrimônio moral recomposto.

Compartilhe: