GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM - Bacharelado

 

APRESENTAÇÃO

O curso de Graduação em Enfermagem – Bacharelado, busca desenvolver o profissional para intervenção eficiente na preservação da saúde, tratamento, reabilitação e controle das patologias, com ênfase na promoção de saúde, mantendo adequado padrão da bioética e ética profissional, conduta moral e respeito ao ser humano. Trata-se de um curso cujo perfil atende plenamente às exigências de uma formação fundamentada e estruturada nas Diretrizes Curriculares nº 3/2001 CNE/CES visando proporcionar a ampliação de possibilidades e potencialidades formativas do egresso.

 

HISTÓRICO DO CURSO

O Curso de Graduação em Enfermagem – Bacharelado, foi autorizado a funcionar pelo Decreto Estadual nº 4.300, com implantação da primeira turma no segundo semestre de 2001. Em 2005 foi reconhecido pelo Decreto Estadual nº 5.569. A última Renovação de Reconhecimento ocorreu através do Decreto Estadual nº 8.292, publicado em 22 de novembro de 2017, válido pelo prazo de 5(cinco) anos a partir de 14 de setembro de 2017.

 

PERFIL DO PROFISSIONAL A SER FORMADO

O curso de Enfermagem tem a finalidade de propiciar uma formação humana e generalista, considerando a cidadania e profissionalização, com enfoque voltado ao aprimoramento técnico-científico, ético-político, social, gerencial e educacional.

Busca desenvolver aptidões e competências para o enfermeiro atuar nas diferentes fases evolutivas do ciclo de vida humana, nos diferentes cenários de ação profissional. Inter-relaciona o seu papel no processo de trabalho em enfermagem e com os demais profissionais da área de saúde. Privilegia a formação para o cuidado de enfermagem nas dimensões expressiva e instrumental, a partir da perspectiva de quem experiência as situações de saúde-doença. Enfoca o cuidado voltado às atividades, atitudes/sentimentos, a interação entre clientes e cuidadores, restabelecendo o equilíbrio, a conexão e estabilidade humanas.

Partindo do ponto de vista educacional, onde a responsabilidade ética profissional deve ser prioridade, o perfil do enfermeiro é norteado como sendo um profissional:

  • Capaz de assumir postura coerente com os princípios éticos e legais da profissão.

  • Empreender a busca do conhecimento sendo agente facilitador de sua própria aprendizagem, oportunizando assim atualizar-se.

  • Estabelecer relações democráticas com a clientela, a equipe de enfermagem e saúde.

  • Compreender a política de saúde no contexto das políticas sociais, reconhecendo os perfis epidemiológicos das populações.

  • Produzir saber que favoreça o desenvolvimento do corpo de conhecimento em enfermagem.

  • Assumir o compromisso pela valorização profissional.

  • Ter uma prática comprometida com as necessidades de saúde da população através de ações assistenciais, gerenciais, de pesquisa e de educação, uma vez que isto vai de encontro com as propostas curriculares do MEC.

  • Tornar-se sujeito no processo de formação de recursos humanos.

  • Internalizar a ciência e a arte do cuidar como instrumento de interpretação e de intervenção profissional.

  • Desenvolver o cuidado de enfermagem a partir da perspectiva de quem experiência as situações saúde-doença.

    Quanto mais o profissional for levado a refletir sobre seu enraizamento espaço-temporal, mais consciência carregada de compromisso com sua realidade terá em seu agir. Sob essa ótica o curso de enfermagem tem como objetivo relevante à competência. Neste sentido o graduado deverá ser capaz de:

  • Reconhecer e atuar nos diferentes cenários da prática profissional;

  • Identificar as necessidades individuais e coletivas de saúde da população, seus condicionantes e determinantes, considerando os pressupostos dos modelos clínico e epidemiológico;

  • Intervir no processo saúde/doença responsabilizando-se pela qualidade da assistência/cuidado de enfermagem ao ser humano em seus diferentes níveis de atenção à saúde, na perspectiva da integralidade da assistência;

  • Prestar cuidados de enfermagem compatíveis com as diferentes necessidades apresentadas pelo indivíduo, pela família e pelos diferentes grupos da comunidade;

  • Compatibilizar as características profissionais dos elementos da equipe de enfermagem às diferentes demandas dos usuários;

  • Integrar as ações de enfermagem às ações multiprofissionais;

  • Gerenciar o processo de trabalho em enfermagem em todos os âmbitos da atuação profissional;

  • Reconhecer o processo de avaliação e o impacto das ações desenvolvidas;

  • Planejar e implementar programas de formação e qualificação contínua dos trabalhadores de enfermagem

  • Planejar e implementar programas de educação e promoção à saúde, considerando a especificidade dos diferentes grupos sociais e dos distintos processos de vida, saúde, trabalho e adoecimento;

  • Desenvolver, participar, divulgar e utilizar pesquisas ou outras produções de conhecimento que objetivam a qualificação da prática profissional;

  • Ter os códigos éticos, políticos e normativos da profissão como baliza da sua prática;

  • Interferir na dinâmica de trabalho institucional, reconhecendo-se como agente desse processo;

  • Participar dos movimentos de qualificação das práticas de saúde.

     

    CAMPOS DE ATUAÇÃO

    Assistência (estes profissionais podem prestar assistência de enfermagem na área hospitalar, em clínicas e outros serviços como, empresas, repartições públicas e estádios de futebol.)

    Gestão, nesta função se encontra: os gestores em nível estadual, municipal (secretários de saúde e coordenadores de programas), os gerentes dos serviços de enfermagem das unidades hospitalares, como por exemplo: Centro Cirúrgico, Unidade de Terapia Intensiva, Serviço de Hemodiálise, Pronto Socorro e demais unidades dos hospitais e outros serviços como, por exemplo, dos Centros e Unidades Básicas de Saúde e das Equipes da ESF – Estratégia Saúde da Família.

    Pode ainda o enfermeiro exercer funções como: diretor de hospitais e de Centros de Ciências da Saúde das Universidades.

    Este é apenas um demonstrativo do leque de campos em que o enfermeiro pode atuar, desenvolvendo diversas atividades.

    As atribuições do profissional enfermeiro são amparadas pela Lei do Exercício Profissional:

     

    É privativo do Enfermeiro:

  • Direção do órgão de Enfermagem integrante da estrutura básica da instituição de saúde, pública, privada, e chefia de serviço e de unidade de enfermagem;

  • Organização e direção dos serviços de Enfermagem e de suas atividades técnicas e auxiliares nas empresas prestadoras desses serviços;

  • Planejamento, organização, execução e avaliação, dos serviços da assistência de enfermagem;

  • Consultoria, auditoria, e emissão de parecer sobre matéria de enfermagem;

  • Consulta de enfermagem;

  • Prescrição da assistência de enfermagem;

  • Cuidados diretos de enfermagem a pacientes graves com risco de vida;

  • Cuidados de enfermagem de maior complexidade técnica e que exijam conhecimentos científicos adequados e capacidade de tomar decisões imediatas.

     

    Como integrante da equipe de saúde:

  • Participação no planejamento, execução e avaliação da programação de saúde;

  • Participação na elaboração, execução e avaliação dos planos assistenciais de saúde;

  • Participação em projetos de construção ou reforma de unidades de internação;

  • Prevenção e controle sistemático da infecção hospitalar, inclusive como membro das respectivas comissões;

  • Participação na elaboração de medidas de prevenção e controle sistemático de danos que possam ser causados aos pacientes durante a assistência de Enfermagem;

  • Participação na prevenção e controle das doenças transmissíveis em geral e nos programas de vigilância epidemiológica;

  • Prestação de assistência de enfermagem à gestante, parturiente, puérpera e ao recém-nascido;

  • Participação nos programas e nas atividades de assistência integral à saúde individual e de grupos específicos, particularmente daqueles prioritários e de alto risco;

  • Acompanhamento da evolução e do trabalho de parto;

  • Execução e assistência obstétrica em situação de emergência e execução do parto sem distorcia;

  • Participação em programas e atividades de educação sanitária, visando a melhoria de saúde do indivíduo, da família e da população em geral;

  • Participação nos programas de treinamento e aprimoramento de pessoal de saúde, particularmente nos programas de educação permanente;

  • Participação nos programas de higiene e segurança do trabalho e de prevenção de acidentes e de doenças profissionais e do trabalho;

  • Participação na elaboração e na operacionalização do sistema de referência e contra referência do paciente nos diferentes níveis de atenção à saúde;

  • Participação no desenvolvimento de tecnologia apropriada à assistência de saúde;

  • Participação em bancas examinadoras, em matérias específicas de enfermagem, nos concursos para provimento de cargo ou contratação de enfermeiro ou de pessoal Técnico em Enfermagem.

 

PROPOSTA PEDAGÓGICA EM VIGOR

A proposta pedagógica atual foi implantada em 2011, sendo suas principais características:

Curso: Graduação em Enfermagem – Bacharelado

Carga Horária: 4.490 horas

Turno: Integral.

Regime: Seriado Anual

Vagas: 40

Período de integralização: Mínimo de 05 (cinco) e Máximo de 08 (oito) anos.

Modalidade: Presencial

 

CONTATOS:

Coordenadora: Emiliana Cristina Melo -

Vice Coordenador: Carina Bortolato Major -

Coordenador de Estágio: Carolina Fordellone Rosa Cruz -

 

Representantes docentes:

Ricardo Castanho Moreira -

José Aparecido Bellucci Júnior - 

Cristiano Massao Thashima - 

 

 

Representante discente: 

Eloiza Rodrigues Vidal de Oliveira

Gabriel Henrique Gonzaga Stechi

Thays Lienddry Rosa Bergamo

Priscila Alvim de Lima

Geovanna dos Santos Lalier

 

Fone: (43) 3542-8044