Professora da Universidad de Murcia visita a UENP em ação de internacionalização

Sexta, 06 Setembro 2019 14:08 por Editor da Comunicação Social
Professora-doutora Irene Vázquez Serrano fala à comunidade no IX Simpósio Internacional de Análise Crítica do Direito em Jacarezinho Professora-doutora Irene Vázquez Serrano fala à comunidade no IX Simpósio Internacional de Análise Crítica do Direito em Jacarezinho

A professora-doutora Irene Vázquez Serrano, da Universidad de Murcia (Espanha) veio ao Brasil para visitar a Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), onde desempenhou diversas atividades multidisciplinares. A acadêmica espanhola permaneceu na instituição durante os últimos dez dias de agosto, atuando principalmente no Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA) do Campus Jacarezinho.

A Universidad de Murcia tem acordo de dupla titulação com a UENP nos níveis de graduação e pós-graduação. Com isso, acadêmicos que concluem o programa de internacionalização recebem certificação de ambas as instituições, com a possibilidade de atuar tanto no Brasil como nos países signatários da União Europeia. Com a parceria, professores de ambas as Universidades realizam visitas recíprocas para experiências de interação acadêmica e cultural.

Irene Vázquez Serrano é graduada em Direito pela Universidad de Murcia. Tem mestrado em Proteção de Direitos Humanos e em Direito da União Europeia (Universidad de Alcalá, Madrid), além de doutorado em direito também pela Universidad de Murcia, onde trabalha atualmente.

A professora Irene apresentou a conferência “El principio de jurisdicción penal universal. Especial referencia a la práctica española y a la querella argentina contra los crímenes franquistas” no IX Simpósio Internacional de Análise Crítica do Direito, realizado no CCSA em Jacarezinho durante os dias 29, 30 e 31 de agosto. No evento, a professora também foi uma das coordenadoras do grupo de trabalho “Critical Analysis of Law”, com pesquisas apresentadas apenas em inglês. 

Além das atividades realizadas em Jacarezinho, a professora também concedeu entrevista na qual comentou diversos assuntos realizados à ciência, à carreira e ao cenário das Universidades no Brasil e na Espanha. Para ela, ações de internacionalização podem impactar de maneira intensa e positiva na realidade de uma Universidade.

“Acompanhamos e comparamos os diferentes sistemas acadêmicos, fazemos novas amizades e compartilhamos experiências internacionais. Conhecemos professores de outras universidades e realidades, além de tomar contato com novas visões e aplicações do Direito. Todas essas são experiências enriquecedoras que promovem crescimento pessoal, linguístico, cultural e profissional para todos os envolvidos”, afirma.

Sobre a UENP, a professora Irene tem uma visão elogiosa e otimista em relação ao futuro próximo. “É uma universidade ainda jovem e pequena, mas que atua como uma verdadeira família. Já tem muito boa fama nacional e internacionalmente, pois se trabalha muito bem aqui. A tendência é de crescimento e aprimoramento de padrões nos próximos anos”, analisa a acadêmica.

Em relação ao Programa de Pós-Graduação em Ciência Jurídica da UENP (PPGCJ), a professora espanhola destaca a valorização à pesquisa em direito proporcionada tanto pelo mestrado como pelo doutorado. “Percebi aqui uma situação semelhante à da Espanha. A Universidade desempenha um trabalho estupendo ao atuar como um catalisador das inquietudes acadêmicas dos estudantes, com linhas bastante completas e que respondem às necessidades da realidade do país”, projeta, com expectativas para uma relação ainda mais estreita entre UENP e U. de Murcia no futuro.

Em setembro, a estudante da Lara Helena Pinheiro se torna a primeira aluna de Direito da UENP a participar do programa de dupla titulação na graduação entre UENP e Universidad de Murcia. Sobre esta experiência, a professora Irene destaca os principais benefícios que a acadêmica brasileira encontrará na Espanha.

“Haverá oportunidade para aprender com as diferenças, conhecer muitos colegas e amigos tanto da Espanha, como de outros países, tomar contato com a realidade acadêmica da Europa e a aplicação do Direito na União Europeia, além de crescer como futura jurista e ter ganhos imensuráveis em sua proficiência no idioma”, menciona.

As atividades da professora espanhola não ficaram restritas ao Direito. Irene também participou de uma aula do Centro Internacional de Idiomas da UENP, onde conversou com alunos do programa. “Pude compartilhar um pouco de minhas visões como cidadã espanhola, treinar o vocabulário e a conversação dos estudantes e creio que pude somar às suas experiências. O treino em situações de uso real do idioma aprimora o estudo teórico”, finaliza.

 

Última modificação: Sexta, 06 Setembro 2019 14:10
Compartilhe: