PROCESSOS E CONSTRUÇÕES IDENTITÁRIAS NA FICÇÃO BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA: PRÁTICAS DE EDUCAÇÃO LITERÁRIA

Vigência: 01/05/2018 a 30/04/2021

Coordenadora: Ana Paula Franco Nobile Brandileone

Colaboradores: Vanderleia da Silva Oliveira e Thiago Alves Valente.

Apresentação

Este projeto apresenta-se como ampliação dos estudos constitutivos do projeto anterior, A REPRESENTAÇÃO DE TERRITÓRIOS MARGINAIS NA FICÇÃO BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA: RECEPÇÃO CRÍTICA E PRÁTICAS DE LETRAMENTO, realizado entre 2015 a 2018. Considerando que o projeto anterior focalizou, sobretudo, a literatura marginal, movimento literário que ganhou força e visibilidade com a publicação das edições especiais da revista Caros Amigos, publicadas entre agosto de 2001 a abril de 2004, a pesquisa em questão tem por objetivo lançar o olhar para representação dos grupos marginalizados, entendidos em sentido amplo, como todos aqueles que vivenciam uma identidade coletiva que recebe valoração negativa da cultura dominante, seja por critério de sexo, raça, cor, orientação sexual, posição nas relações de produção, condição física. A partir deste pressuposto, o objetivo desta pesquisa é investigar e analisar esta produção literária, bem como promover práticas de educação literária no espaço escolar, considerando estas representações.

 

GÊNEROS DO JORNAL COMO OBJETOS DE TRANSPOSIÇÃO DIDÁTICA

Vigência: 01/06/2015 a 31/05/2018

Coordenadora: Eliana Merlin Deganutti de Barros

Colaboradores: Marilúcia dos Santos Domingos Striquer e Eliane Segati Rios Registro.

Apresentação

Este projeto é uma extensão do projeto de pesquisa “Gêneros da mídia jornalística como objetos de transposição didática externa” que se encerra em 31/08/2015. No projeto anterior o foco das investigações era o processo de transposição didática externa de gêneros jornalísticos, em contexto de formação inicial e continuada. Este novo projeto avança no seu escopo de pesquisa, pois objetiva investigar todas as etapas da transposição didática - externa e interna - envolvidas na didatização de gêneros do jornal. Os dados da pesquisa continuam sendo gerados pelo subprojeto PIBID (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência) de Língua Portuguesa (Eixo 2 – Gêneros Textuais) desenvolvido na UENP de Cornélio Procópio, sob minha coordenação. O subprojeto PIBID é um lócus significativo de pesquisa, pois envolve tanto a formação inicial de alunos da Graduação como a formação continuada de professores da Educação Básica. Neste subprojeto, de forma colaborativa, são elaboradas sequências didáticas de gêneros (SDG) jornalísticos visando à didatização do jornal impresso e, consequentemente, a organização de um jornal escolar – o Jornal PIBID. O subprojeto está no seu segundo ano de execução, dessa forma, já há um vasto corpus para análise: modelos teóricos e didáticos dos gêneros selecionados para a didatização; sinopses das SDG usadas como ferramentas do processo de transposição didática; planificação geral das SDG, com suas atividades, tarefas e dispositivos didáticos; questionários aplicados a alunos da Educação Básica, alunos-pibidianos, professoras- pibidianas; relatórios críticos de todos os pibidianos envolvidos no subprojeto; atividades e produções dos alunos durante o desenvolvimento das SDG. Para a edição de 2015 serão também gravadas algumas aulas para que o corpus de pesquisa seja ampliado e possibilite outras investigações no âmbito da transposição didática interna. A partir desse corpus, o objetivo geral do projeto é encaminhar pesquisas que tomem como foco pelo menos um dos três polos da transposição didática: o aluno (a aprendizagem), o professor (o agir docente voltado ao ensino), os objetos e instrumentos didáticos. Para tanto, o projeto fundamenta-se, de forma geral, nos estudos desenvolvidos pelo Grupo de Genebra conhecidos como Interacionismo Sociodiscursivo (ISD), sobretudo, na sua vertente didática. Incorpora também vários outros estudos relevantes para seu desenvolvimento, entre eles, os de Bonini (2003, 2011) sobre gêneros do jornal. Espera-se com este projeto dar respaldo às pesquisas desenvolvidas no âmbito da Linguística Aplicada direcionadas à didatização dos gêneros do jornal.

 

A LÍNGUA PORTUGUESA NA EDUCAÇÃO BÁSICA: SABERES, PRÁTICAS E MEDIAÇÕES FORMATIVAS

Vigência: 01/06/2015 a 17/05/2019

Coordenadora: Eliana Merlin Deganutti de Barros

Colaboradores: Letícia Jovelina Storto, Diná Tereza de Brito e Eliane Segati Rios Registro.

Apresentação

Este Projeto tem respaldo nas atuais diretrizes que norteiam o ensino da Língua Portuguesa na Educação Básica, entre elas, os Parâmetros Curriculares Nacionais, as Matrizes de Referências da Prova Brasil e as Diretrizes Curriculares da Educação do Paraná. Todos esses documentos têm suas particularidades, mas são unânimes em privilegiar uma concepção de língua pautada nas interações comunicativas e uma visão de ensino ancorada em tal concepção e no desenvolvimento de múltiplos letramentos (ROJO, 2009). Entretanto, essa nova abordagem do ensino da língua tem gerado muita discussão teórico-metodológica entre os pesquisadores da área, pois para se mudar de uma abordagem tradicional – sustentada por uma visão fragmentada e rígida da língua – para uma que privilegia as práticas sociais de uso linguístico é preciso reorganizar os três polos do sistema escolar: o ensino (focado na figura do professor), a aprendizagem (vista sob a perspectiva do aluno) e os objetos e ferramentas de ensino que fazem a mediação desse processo didático. Nosso projeto busca justamente uma integração desses três pilares que sustentam o processo de didatização da língua – os objetos/instrumentos de ensino, o professor e o aluno. Para tanto, nosso projeto objetiva investigar diferentes contextos de didatização da língua portuguesa, privilegiando ora um desses três polos, ora fazendo uma articulação entre eles. O foco são questões envolvendo a problemática da concretização dessa nova concepção de ensino em situações diversas de ensino, aprendizagem e formação de professores de língua portuguesa – tanto inicial como continuada. A fundamentação teórica que norteia a investigação é oriunda de estudos que privilegiam um enfoque enunciativo da linguagem (BAKHTIN, 2003; BAKHTIN/VOLOCHINOV, 1986) e sociointeracional da aprendizagem (VIGOTSKI, 2008). O objetivo não é restringir as pesquisas que serão desenvolvidas no projeto a uma corrente teórica específica. Com essa postura mais aberta pretendemos, além de conduzir nossas próprias pesquisas, direcionar várias outras, individuais e em coautoria, e de níveis acadêmicos diferentes: trabalhos de conclusão de curso de Graduação e de Especialização, Dissertações de Mestrado Profissional, pesquisas de iniciação científica.

 

APOIO PARA O FORTALECIMENTO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA, TECNOLÓGICA E DE INOVAÇÃO DOS DOCENTES E DISCENTES DO MESTRADO PROFISSIONAL EM LETRAS DA UENP

Vigência: 15/12/2017 a 14/12/2020

Coordenadora: Eliana Merlin Deganutti de Barros

Colaboradores: Ana Paula Franco Nobile Brandileone, Letícia Jovelina Storto, Thiago Alves Valente, Marilucia dos Santos Domingos Strique, Vanderleia da Silva Oliveira, Fernando Moreno da Silva e Nerynei Meira Carneiro Bellini.

Apresentação

O Mestrado Profissional em Letras (PROFLETRAS) da UENP é um programa de pós-graduação stricto sensu em Letras, semipresencial, no âmbito do Sistema da Universidade Aberta do Brasil (UAB), reconhecido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), do Ministério da Educação. Oferecido em rede nacional, conta com a participação de diversas instituições de ensino superior públicas e a coordenação nacional é da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). O Programa, por meio da capacitação de docentes, tem como objetivo melhorar a formação de professores do ensino fundamental no ensino de língua portuguesa e melhorar a qualidade da Educação Básica. Foi recomendado com nota 4 pela CAPES, devido à qualificação de seu corpo docente nas IES que integram esse Programa. Na UENP, o Programa teve início em 2014, formado por um corpo docente de professores dos cursos de Letras dos campi de Cornélio Procópio e de Jacarezinho. O objetivo do projeto é fomentar as pesquisas do Programa, por meio de ações conjuntas entre docentes e discentes das áreas de ensino da Língua Portuguesa e Literatura, dos dois campi: Cornélio Procópio e Jacarezinho; assim de outras IES. Nesse sentido, buscar-se contribuir com as pesquisas do programa por meio da implementação de um laboratório de pesquisa, tecnologia e inovação e de um laboratório de letramentos acadêmicos, a fim de viabilizar intercâmbios entre os grupos de pesquisa dos dois campi e também de diferentes IES, nacionais e internacionais, aulas à distância, palestras, bancas de defesas e qualificações, etc.Espera-se, assim, consolidar os objetivos do Programa e fomentar as pesquisas dos docentes e discentes.

 

O PAPEL DA LÍNGUA INGLESA NO PROCESSO DE INTERNACIONALIZAÇÃO DA UENP: IMPACTOS NO ENSINO, NA PESQUISA E NA EXTENSÃO.

Vigência: 02/03/2017 a 01/02/2020

Coordenadora: Eliane Segati Rios Registro

Apresentação

Este pesquisa objetiva mapear as ações voltadas ao ensino de língua inglesa a fim de elevar os níveis de internacionalização da Universidade Estadual do Norte do Paraná. Nesse sentido, primeiramente, indicaremos os níveis de proficiência da comunidade acadêmica com base nos exames de proficiência já aplicados, além de considerar o desempenho nos cursos de línguas já ofertados. A partir do referido mapeamento, faremos a proposição de uma política linguística para a universidade, com base em pesquisas que serão realizadas em parcerias com outras universidades de referência internacional. Espera-se que esta pesquisa possa contribuir para elevar os índices de internacionalização a partir da qualificação da proficiência em língua inglesa.

 

FUNÇÃO DIDÁTICA DO DICIONÁRIO: EM TORNO DA LEXICOGRAFIA PEDAGÓGICA

Vigência: 01/08/2014 a 31/07/2020

Coordenador: Fernando Moreno da Silva

Apresentação

O estudo do léxico é o foco de três grandes disciplinas: lexicologia, lexicografia e terminologia. Lexicologia se ocupa do estudo do léxico geral de uma língua; terminologia, de um subconjunto lexical, apenas dos termos técnico-científicos. A lexicografia, por sua vez, é uma ciência linguística aplicada que se dedica ao estudo e à produção de obras lexicográficas, especialmente os dicionários. Este projeto se propõe, em primeiro lugar, a apresentar o conceito, a tipologia e a estrutura dos dicionários; em segundo, a destacar suas funções pedagógicas como ferramenta para o ensino e aprendizagem da língua

 

LÍNGUA FALADA E ENSINO: É PRECISO FALAR DISSO

Vigência: 01/04/2017 a 31/07/2020

Coordenadora: Letícia Jovelina Storto

Apresentação

A língua falada possui características específicas, decorrentes do vínculo estabelecido entre falante e ouvinte, próprio da interação face a face. Diferentemente do que pode considerar o senso comum, a produção e a recepção do texto oral é complexa, uma vez que o planejamento e a execução ocorrem quase simultaneamente. Essa complexidade se contrapõe também a afirmações que julgam a língua falada como uma modalidade sem regras, informal, em contraponto à língua escrita. Assim, seu ensino deve estar pautado em uma concepção interacionista da linguagem, verificando a oralidade como uma modalidade de uso da língua com características e regras próprias, diferentes daquelas da escrita, mas não em uma perspectiva dicotômica, e sim dentro de um continuum. Logo, este projeto tem como objetivo colaborar para a compreensão da oralidade no ensino da língua portuguesa como língua materna, auxiliando professores e alunos no processo de ensino/aprendizagem. Para tanto, serão realizados levantamentos de dados sobre o assunto, pesquisas sobre a oralidade em materiais didáticos e documentos de educação, como Base Nacional Comum Curricular (BNCC), os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN), Diretrizes Curriculares da Educação Básica (DCE), sempre na área de Língua Portuguesa. Também serão elaborados modelos didáticos e sequências de atividades para o trabalho com gêneros orais em sala de aula. A fundamentação teórica baseia-se nos estudos em Análise da Conversação, Linguística Aplicada e Didática das Línguas. Espera-se contribuir para um ensino mais significativo e coerente da língua falada em sala de aula, de modo que os estudantes aprendam a se expressar oralmente em distintos contextos sociodiscursivos.

 

O GÊNERO “ROMANCE”: ORIGENS, TRANSFORMAÇÕES E TENDÊNCIAS

Vigência: 01/03/2017 a 01/03/2020

Coordenadora: Luciana Brito

Apresentação

O projeto em questão está ligado ao Grupo de Pesquisa “Leituras literárias: teoria crítica, análise e ensino - UENP”, em especial à linha de pesquisa “Estudos do Romance”, e à disciplina “Experimentação no Romance”, pertencente ao Programa de Pós-Graduação em Letras - UEL. Reúne professores pesquisadores e estudantes de Iniciação Científica, Mestrado e Doutorado que se ocupam de pesquisas voltadas para o estudo da formação e desenvolvimento do gênero romance, com ênfase na análise teórico-crítica de sua construção e desenvolvimento ao longo dos tempos. O Projeto estuda o romance a partir de uma perspectiva analítica e sócio-histórica, à luz de diversas correntes teóricas, além de refletir sobre a relação do romance com a teoria dos gêneros, destacando sua heterogeneidade estética, ruptura e experimentação.

 

LETRAMENTO LITERÁRIO E NARRATIVA DO INSÓLITO NO AMBIENTE ESCOLAR

Vigência: 01/02/201 a 01/02/2019

Coordenador: Nerynei Meira Carneiro Bellini

Apresentação

Este projeto procede da linha de pesquisa “Leituras do insólito”, vinculada ao projeto de pesquisa “Gêneros discursivos e a formação do professor de Língua Portuguesa e Literatura: questões teóricas e metodológicas”, com registro no SECAPEE/UENP sob o nº 3690, do Grupo de Pesquisa (GP) “Leitura e Ensino”, campus Jacarezinho, e tem a finalidade de, em um primeiro momento, investigar a vigência de narrativas do insólito literário no rol de obras selecionadas para o Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE Temático) de 2015, que leva às escolas públicas acervos previamente avaliados. A partir da seleção qualitativa de algumas obras, em outro instante, o projeto tem o objetivo de desenvolver atividades leitoras, embasadas no multiletramento de Rildo Cosson, estratégias de leitura de Isabel Solé e Teresa Colomer. A escolha dos textos se embasará em caracterizações estéticas da modalidade do insólito, segundo pressupostos teóricos e críticos coligidos por David Roas, Remo Ceserani e Ana Luiza Silva Camarani. O foco em narrativas que fazem parte do acervo de 2015 justifica-se porque se trata de programa do governo federal vigente desde 1997 e que vem às bibliotecas de todas as escolas públicas nacionais. Portanto, os livros serão, provavelmente, materiais de trabalho relevantes aos docentes em formação do curso de Letras. De início, almejam-se conhecimentos da modalidade literária em tela e do programa PNBE, por meio da leitura de textos teóricos e publicações correlatas, para efetuarem, depois, análises e seleção de narrativas do insólito que compõem o acervo para o ensino fundamental de 2015. Pretende-se, assim, vincular os saberes teóricos literários, educativos e linguísticos à práxis educacional, pois o acervo e as estratégias de leitura remetem ao contexto escolar. Por contemplar livros inseridos no acervo de escolas públicas brasileiras, bem como estratégias leitoras, este projeto poderá possibilitar ao professor em formação do curso de Letras conhecimento teórico e metodológico, com vistas ao leitor crítico de obras do insólito.

 

GÊNEROS DISCURSIVOS E A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA: QUESTÕES TEÓRICAS E METODOLÓGICAS

Vigência: 30/06/2015 a 30/06/2018

Coordenador: Patrícia Cristina de Oliveira Duarte

Colaboradores: Nerynei Meira Carneiro Bellini

Apresentação

Vinculado ao Grupo de Pesquisa “Leitura e Ensino”, este projeto visa estabelecer um profícuo diálogo, no sentido bakhtiniano do termo, entre formação docente - inicial e contínua, gêneros discursivos (BAKHTIN, 2003) de diferentes esferas sociais, em especial, aqueles que se constituem a partir do insólito, veiculados em diferentes suportes, e propostas inovadoras de transposição didática, sobretudo, o Plano de Trabalho Docente – PTD – (GASPARIN, 2009) e Sequências Didáticas – SD – (DOLZ; SCHNEUWLY, 2004). De forma transdisciplinar, à medida que estabelece elos entre Linguística, Literatura e Cinema, visa à ressignificação dos saberes construídos no curso de Letras, no afã de que os professores em formação possam promover uma prática pedagógica, nas salas de aula da Educação Básica, pautada pela diversidade cultural, literária e linguística, por meio da abordagem de textos-enunciado pertencentes a diferentes gêneros do discurso. Nesse enfoque, em consonância com os pressupostos da Teoria dos gêneros discursivos do Círculo de Bakhtin e Estudos da Estética do Insólito Literário, ressalta a dimensão social como parte indissociável do gênero discursivo, uma vez que é por meio dela que se pode compreender a constituição e funcionamento dos gêneros do discurso, bem como a imagem de homem que subjaz a cada gênero.

 

A REPRESENTAÇÃO DA GUERRA NA LITERATURA INFANTIL E JUVENIL BRASILEIRA – ETAPA 1

Vigência: 01/11/2017 a 30/10/2020

Coordenador: Thiago Alves Valente

Colaboradores: Ana Paula Franco Nobile Brandileone e Vanderléia da Silva Oliveira

Apresentação

Este projeto tem como objetivo realizar investigação temática sobre a produção literária brasileira direcionada a crianças e jovens. Para esta primeira etapa, pretende-se levantar as representações sobre o tema "guerra" presentes nos textos publicados para crianças entre a segunda metade do século XIX e o início do século XX, no contexto brasileiro, conforme periodização de Lajolo e Zilberman (1988).

 

A EDUCAÇÃO LITERÁRIA NO SÉCULO XXI E A FORMAÇÃO DO PROFISSIONAL DA ÁREA DE LETRAS: ESTUDO SOBRE INSTITUCIONALIZAÇÃO DA LITERATURA, CURRÍCULO E PRÁTICAS METODOLÓGICAS

Vigência: 01/03/2017 a 28/02/2020

Coordenadora: Vanderléia da Silva Oliveira

Apresentação

A formação de docentes para o ensino da língua e das literaturas de língua portuguesa, notoriamente abrasileira, tem sido objeto de estudo tanto da Educação quanto de áreas afins, especialmente aquelas relacionadas com interfaces com as licenciaturas, nas últimas décadas. Fruto desses estudos, surge um expressivo número de trabalhos acadêmicos, bem como pesquisas voltadas para metodologias de ensino, que têm sustentado certo repertório para a ação pedagógica em sala de aula. Todavia, um olhar para os estudos que se relacionam à realidade do ensino da língua materna parece sugerir que, apesar do avanço de pesquisas na área, o ensino não as incorporou ou, talvez, não as tenha compreendido. Na área da literatura, tal cenário não é diferente, pois tem permanecido um ensino ligado ao uso do texto literário como pretexto, isto é, para o ensino da gramática ou apenas para abordagem historicista da obra literária. Neste contexto, a expressão letramento literário entrou para o repertório dos cursos de Letras, frente à preocupação em alcançar, por meio da leitura efetiva dos textos literários da tradição literária luso-brasileira, a formação ampla do estudante e, especificamente daqueles que ingressam na graduação em Letras, do futuro profissional da área. Tais considerações nos encaminham, dentre tantos outros aspectos, por meio de uma abordagem teórico-reflexiva alicerçada em Bauman (2010), Sarlo (2002), Bernardes (2005), Gens (2008), Cosson (2006), dentre outros, ao problema do perfil do docente de Literatura, vez que interessa discutir sobre a percepção que o professor em formação terá sobre os conteúdos da área literária, como resultado dos processos de ensino-aprendizagem a ele propostos. Entende-se, aqui, que a Universidade, neste início do século XXI, deve formar indivíduos que sejam capazes de desenvolver uma prática didático-pedagógica em que se estimule a criatividade, a curiosidade, o desenvolvimento da subjetividade, o espírito investigativo e a capacidade analítico- interpretativa e crítica.Justifica- e, então, a investigação em torno destes elementos - currículo, formação docente, metodologias para o ensino de literatura - a fim de apontar práticas que efetivem a educação literária, tanto em nível de educação básica quanto superior. A metodologia de investigação se dá a partir de levantamento bibliográfico, qualitativo, de base exploratória, ancorada em estudos e teorias sobre os referidos temas. Os resultados serão apresentados a partir de trabalhos elaborados/orientados em nível de iniciação científica, trabalhos de conclusão de curso de graduação, dissertações de mestrado, produtos de professores- PDE, além de estudo em nível de estágio pós-doutoral.