Acadêmicos do 4º ano de Geografia da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), do Centro de Ciências Humanas e da Educação (CCHE), campus Cornélio Procópio (CCP), acompanhados pelo professor Aécio Rodrigues de Melo, do colegiado de Geografia, realizaram viagem de estudo à cidade de Foz do Iguaçu, na região sudoeste paranaense, nos dias 7 e 8 de junho.

O trabalho de campo começou com visita técnica à Usina Hidrelétrica de Itaipu, na manhã do dia 7. À tarde, os acadêmicos visitaram o Parque Nacional do Iguaçu, com destaque para as cataratas do Rio Iguaçu, a belíssima Floresta Tropical, a estátua em homenagem a Santos Dumont, e outros pontos de interesse.

No dia seguinte, foi a vez de conhecerem o Marco das Três Fronteiras, a mesquita Omar Ibn Al-Khatab – a maior igreja muçulmana da América Latina –, os aspectos urbanos da cidade de Foz do Iguaçu e da Ciudad del Este, no vizinho Paraguai.

"A viagem nos revelou um lugar impossível de se descrever com palavras, de uma beleza selvagem que atiçou a curiosidade inata dos exploradores. Pode-se afirmar, com toda segurança, que a dinâmica efetuada alcançou e mesmo ultrapassou as expectativas desse trabalho de campo exploratório", afirmou o professor Ricardo Campos, diretor do CCHE/CCP.

"Nunca é demais repetir que um dever inerente ao geógrafo é satisfazer a curiosidade das pessoas sobre o mundo em que vivem e para isso ele precisa conhecer, compreender e apreciar os lugares, daí a necessidade do trabalho de campo. Reafirmamos o já que disse Hart: 'uma boa Geografia começa pelo olhar'", acrescentou.

Esse estudo de campo foi uma extensão dos propósitos do curso e representou um percurso do conteúdo teórico, prático e metodológico. O geógrafo necessita realizar atividades que vão além das fronteiras das salas de aula e que ultrapassem os divisores acadêmicos, sempre buscando experimentar diferentes realidades.

O evento contou com a participação dos conferencistas estrangeiros Roger Chartier (França), discorrendo sobre "Literatura e cultura escrita: estabilidade das obras, mobilidade dos textos, pluralidade das leituras", e Carlos Reis (Portugal), abordando o tema: "Estudos narrativos: estado da questão e a questão da personagem". Também foram realizadas diversas sessões de mesas-redonda e minicurso, além dos inúmeros simpósios na área de Linguística e Literatura.

Pesquisadores do grupo de pesquisa "Crítica e Recepção Literária" (GP CRELIT) apresentaram comunicações orais em alguns simpósios da área literária: Miguel Heitor Braga Vieira, com comunicação oral intitulada "Minificção e a questão do suporte", inserida no Simpósio "As artes narrativas e o pandemônio da contemporaneidade"; professora Ana Paula Franco Nobile Brandileone, com "Terça-feira gorda, de Caio F. Abreu: em nome do preconceito", inserida no simpósio "Literatura e Homoerotismo". Professora Vanderléia Oliveira participou do simpósio "O romance contemporâneo, com a comunicação O romance histórico brasileiro contemporâneo".

O professor Thiago Valente, além de apresentar a comunicação "A extraordinária antropofagia da poesia infantil", também coordenou o Simpósio "Literatura Infantil e ensino: rotas, desvios e desafios" em parceria com o professor José Nicolau Gregorin Filho da Universidade de São Paulo (USP). Neste Simpósio, foram apresentadas 24 comunicações, abrangendo tanto pesquisas relacionadas à recepção de leitura, quanto à análise de obras literárias. Os comunicadores eram procedentes de diversas regiões brasileiras, representando instituições como a Universidade Estadual Paulista (UNESP-Presidente Prudente), USP, Universidade Estadual da Bahia (UNEB), Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), Universidade Federal de Pernambuco, entre outras.

Na área de estudos linguísticos, o GP PEL e o GP GETELIN também participaram com apresentações das professoras Edenir Haddad Santos, com a comunicação "Pesquisa em estudos linguísticos" e a professora Diná Brito, comunicando o trabalho "A Alteração da Linguagem da Produção Musical Brasileira das Décadas de 1970 a 2010, considerando-se a figura feminina, num enfoque da Estilística Léxica", ambas inseridas em "Sessões especiais de comunicação de estudos linguísticos".

A professora Eliana Merlin participou do Simpósio "Ferramentas de ensino e práticas em sala de aula", com a comunicação "Gestos didáticos específicos na mobilização da ferramenta sequência didática". A professora Maria Virginia Benassi comunicou o texto "Ensino de língua inglesa: implicações e desafios na rede pública", no Simpósio "Práticas de linguagem e estágios supervisionados".

Além dos docentes, as acadêmicas Paula da Silva Rissi e Sueli de Fátima Santos também apresentaram, respectivamente, os trabalhos "Minificção: uma ponte entre a infância e a juventude, e Oralidade e escrita em Lygia Bojunga Nunes: um estudo de Corda Bamba, O rio e eu e A casa da madrinha".

A obra "Ensaios Filosóficos" será lançada na Livrarias Curitiba do ParkShopping Barigui em 12 Julho

Os professores Fábio Antonio Gabriel e Gustavo Luiz Gava, mestrandos em filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC) e docentes das Universidades Estadual do Norte do Paraná (UENP) e Positivo, respectivamente, lançarão o livro "Ensaios Filosóficos: Antropologia, Neurociência, Linguagem e Educação" em Curitiba. O evento acontecerá em 12 de julho, às 19h30, na Livrarias Curitiba do Parkshopping Barigui.

O livro é organizado em três eixos: Neurociência, antropologia e linguagem em diálogo; Ensaios filosóficos modernos e contemporâneos; Filosofia e Educação: ensaios, diálogos e Propostas Metodológicas para o Ensino. Para o prefaciador, professor-doutor Kleber Bez Birolo Candiotto (docente da PUC-PR), o livro possui um conteúdo relevante na medida em que: "Ao consultar a obra, o leitor será instigado pelos constantes e profundos questionamentos oriundos das diversas temáticas abordadas pelos autores, organizada por Fábio Antonio Gabriel e Gustavo Luiz Gava, com exímia apresentação de José Carlos da Silva."

O coordenador do curso de Filosofia da UENP, professor–doutor José Carlos da Silva, enfatiza, na apresentação da obra: "As reflexões do livro 'Ensaios filosóficos: antropologia, neurociência, linguagem e educação' e seus desdobramentos querem ajudar a formar o homem integral na atual conjuntura em que vivemos. Quanto mais integração houver, mais possibilidade terá o homem de ser cidadão emancipado e capaz de lutar por uma qualidade de vida mais humana, justa e digna do ser humano".

O diretor do Centro de Ciências Humanas e da Educação (CCHE), professor-doutor Antônio Carlos de Souza, um dos autores do livro, ressalta que a obra completa o projeto dos docentes do curso de Filosofia da UENP em parceria com diversos professores de outras instituições da trilogia lançada pela Multifoco: "Filosofia e educação: um diálogo necessário" (2011); "Filosofia e educação: um diálogo entre saberes na contemporaneidade" (2012) e "Ensaios Filosóficos" (2012).

Os autores dos artigos que compõe o livro são: Ana Paula Ribeiro (PUC-PR); Antonio Carlos de Souza (UENP); Ari Alex Ramos (PUC/PR); Carlos Willians Jaques Morais (UEPG-UNICAMP); Cleber Dias de Araújo (SEED-PR); Elisandra Angrewski (SEED-PR); Eva Cristina Francisco (UENP); Isadora Lima Machado (UNICAMP); Jorge Sobral da Silva Maia (UENP); Lucas André Teixeira (UNESP); Marcelo Rocha (PUC-PR); Márcia Regina Galvan Campos (SEED PR); Maria Cristina Müller (UEL); Maria Eliane Rosa de Souza (IF-GO); Maurício Silva Alves (PUC-PR); Odirlei Silva de Souza (SEED-PR); Pamela Cristina de Gois (SEED-PR); Ronaldo Mainardes Lemes Pinheiro (SEED-PR); Silvia Borba Zandoná Cadenassi (UENP).

 A direção do Centro de Ciências Humanas e da Educação juntamente com professores do Campus Jacarezinho promoveram no dia 05/06, às 20 h no Auditório Nobre do CCHE/UENP-CJ o II COLÓQUIO DE FILOSOFIA com o título "Ensaios filosóficos: antropologia, neurociência, linguagem e educação". O coordenador do curso, Prof. Dr. José Carlos da Silva, ressaltou no início do referido evento o histórico dos colóquios anteriores que tiveram origem num colóquio na UNICAMP em 29 de abril de 2011.

Na ocasião foi lançado livro de nome homônimo com autoria dos professores do curso em parceria com nove outras instituições. No prefácio de "ENSAIOS FILOSÓFICOS: ANTROPOLOGIA, NEUROCIÊNCIA, LINGUAGEM E EDUCAÇÃO", Prof. Dr. Kleber Bez Birolo Candiotto ( professor do doutorado em filosofia da PUC PR)assim pronuncia-se: "A obra Ensaios filosóficos: antropologia, neurociência, linguagem e educação é o vívido exemplo do ato de fazer filosofia. Os excelsos textos nela contidos traduzem o caráter interdisciplinar da filosofia, bem como professam sua natureza contemplativa e inquietante." Para o coordenador do curso de filosofia, Prof. Dr. José Carlos da Silva, na apresentação do livro enfatiza: "As reflexões do livro Ensaios filosóficos: antropologia, neurociência, linguagem e educação e seus desdobramentos querem ajudar a formar o homem integral na atual conjuntura em que vivemos. Quanto mais integração houver, mais possibilidade terá o homem de ser cidadão emancipado e capaz de lutar por uma qualidade de vida mais humana, justa e digna do ser humano."

O diretor do Centro de Ciências Humanas e da Educação, Prof. Dr. Antônio Carlos de Souza, um dos autores do livro, ressaltou na finalização do colóquio a importância do evento e motivou para seja dada continuidade sobretudo num diálogo entre as diversas área das ciências humanas.

Estiveram compondo a mesa do colóquio: Prof. Dr. José Carlos da Silva (UENP), Prof. Ari Alex Ramos (PUC PR), Prof. Gustavo Luiz Gava (Universidade Positivo), Prof. Dr. Antonio Carlos de Souza (UENP), Profa.Ms.Silvia Cadenassi(UENP), Fábio Antonio Gabriel(UENP),Prof. Odirlei Silva de Souza (SEED PR), Prof.Dr.Jorge Sobral da Silva Maia (UENP) e Profa. Ms.Eva Cristina Francisco.

Durante o evento foi divulgado o próximo lançamento do livro Ensaios Filosóficos: antropologia, neurociência, linguagem e educação que ocorrerá dia 12 de julho de 2012 nas Livrarias Curitiba SHOPPING BARIGUI, às 19h30min.

Corte Interamericana de Direitos Humanos, nos EUA

Os acadêmicos de Direito da UENP (CCSA/JACAREZINHO), Lorena Ferreira Fernandes (2º ano) e Rafael Kirsch (4º ano) participaram da 17ª Inter American Human Rights Moot Court Competition, da Corte Interamericana de Direitos Humanos, organizada pela American Universiy, em Washington (EUA), entre os dias 21 a 25 de maio.

Lorena e Rafael contaram com o apoio e incentivo do Grupo de Pesquisa de Direito Internacional, liderado por alunos da graduação do Centro de Ciências Sociais Aplicadas de Jacarezinho. O grupo de pesquisa, composto de estudantes dos anos regulares da graduação de direito, encontra-se em pleno desenvolvimento das atividades de pesquisa acadêmica.

Segundo os participantes, "foi preciso muito esforço e dedicação para alcançar esse objetivo, mas tudo valeu à pena e fomos recompensados com essa experiência maravilhosa e com o ótimo resultado obtidos".

No dia 20 de maio teve a abertura da competição, ocasião em que os alunos de Jacarezinho se encontraram com os outros competidores e nesse dia tomaram conhecimento contra quem competiriam nas rodadas preliminares.

A equipe formada pelos acadêmicos Lorena e Rafael era uma das representantes do Estado, ou seja, defendiam o Estado do caso hipotético (Estado de La Atlantia) e competiam contra as equipes representantes das vítimas também de caso hipotético (comunidade indígena Chupanky e comunidade camponesa La Loma).

Em primeiro lugar, segundos relatos dos acadêmicos tiveram que desenvolver um memorial de 30 paginas defendendo o Estado das supostas violações a determinados artigos da Convenção Interamericana de Direitos Humanos e utilizando inúmeros tratados internacionais e jurisprudências internacionais.

Lorena explica que "em Washington, ocorreram as rodadas orais, nas quais as equipes representantes do Estado e os representantes das vítimas se enfrentavam.

"Nas rodadas orais cada membro da equipe falava por cerca de 20 minutos (totalizando 40 minutos cada equipe) e, no nosso caso de representantes do Estado, tínhamos a tréplica", explicam os participantes. "também havia seis juízes que nos questionavam a todo o momento, faziam perguntas, pediam esclarecimento, exemplos de casos da Corte relacionados ao caso", concluem.

Rafael relata também que "no dia 21 de maio eles competiram contra uma equipe da Romênia; no dia 22 de maio contra a PUC-RJ e no dia 23 de maio foi a vez de enfrentar a Federal do Alagoas".

Apenas competiram nas rodadas premilinares, explica Rafael, "pois não avançamos para a rodada semifinal... Porém, nosso trabalho escrito (memorial) foi o 3º melhor entre as 104 equipes participantes de todo o mundo". A rodada final aconteceu na sexta feira, dia 25 de maio e a equipe vencedora foi uma do México, que representavam o Estado.

Os acadêmicos de Jacarezinho ficaram hospedados no dormitório da American University e teve a oportunidade de conhecer o campus, a faculdade de Direito (Washington College of Law) e também tiveram amplo contato com o presidente da Corte Interamericana de Direitos Humanos, com o presidente da Comissão Interamericana de Direitos Humanos.

O intercâmbio foi muito importante, pois criaram amizades e tiveram contatos com professores e alunos de varias faculdade do Brasil e do Mundo.

Por fim, visitaram a OEA e a Comissão Interamericana de Direitos Humanos e trouxeram para a Faculdade de Direito da UENP, um honroso 3º lugar.

UENP-CCP - ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES