Colombiana conclui mestrado em Ciência Jurídica na UENP

Sexta, 08 Junho 2018 16:41 por Assessoria de Comunicação Social
Yuliana Herrera Miranda de Souto durante a banca de defesa do mestrado em Ciência Jurídica da UENP Yuliana Herrera Miranda de Souto durante a banca de defesa do mestrado em Ciência Jurídica da UENP

A estudante Yuliana Herrera Miranda de Souto, de 27 anos, natural da Colômbia, concluiu, no dia 25 de maio, o mestrado em Ciência Jurídica da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP). Primeira mulher estrangeira a cursar a pós-graduação da Instituição, Yuliana, orientada pelo professor-doutor Renato Bernardi, defendeu a dissertação “Fundamentos do Direito a Morrer Dignamente: Análise dos Fundamentos e Pressupostos para Configurar a Eutanásia como um Direito Fundamental no Brasil”.

Nascida na pequena cidade de Arauca, no país vizinho do Brasil, Yuliana conta que soube do mestrado da UENP em 2015, quando recebeu um e-mail de um amigo que informava sobre a abertura do edital de seleção de aluno estrangeiro. “Dizia-se que era a oportunidade de fazer mestrado em um dos melhores cursos de Direito do Brasil. Fiquei muito interessada”, conta.

Formada pela Universidad Cooperativa da Colômbia e desde janeiro de 2016 no Brasil, quando iniciou o mestrado, ela disse estar encantada com esta nova forma de ver o Direito, sob perspectivas diferentes das que conhecia até então e agora com maior profundidade.

Yuliana conta que o tema de sua pesquisa surgiu logo nos primeiros diálogos que teve com seu orientador, Renato Bernardi, sobre direitos fundamentais e novos direitos baseados na dignidade humana na perspectiva do direito comparado entre Brasil e Colômbia. “Isso resultou no interessante tema da eutanásia na perspectiva jurídica e social, com as devidas distinções entre Brasil e Colômbia, o que permitiu fazer uma pesquisa diferenciada”, acentua.

Ela conta que a internacionalização por meio do mestrado em Ciência Jurídica da UENP permitiu a ela, como estudante estrangeira, uma ótima experiência educacional no Brasil. “Manifesto que o mestrado em Ciência Jurídica superou minhas expectativas. O que aprendi permitiu evoluir minha capacidade crítica e reflexiva, contribuindo tanto para minha vida pessoal, acadêmica, como profissional”, enfatizou.

Para o coordenador do Programa em Ciência Jurídica da UENP, professor Fernando Brito, o programa tem consolidado sua capacidade de atrair alunos estrangeiros, o que mostra "alguma inflexão" internacional. “Devemos receber moçambicanos no doutorado em 2019. O que mais tem me chamado a atenção é que embora o fluxo normal dos nossos estudantes seja em direção à Europa, temos sido escolhidos como destino de jovens pesquisadores da América Latina e da África, o que tem possibilitado o surgimento de lanços Sul-Sul. Essa experiência é muito importante para um programa que estuda os temas da "justiça e exclusão", pontua o professor.

Yuliana agradeceu o apoio dos professores Renato Bernardi, Fernando Brito, e da secretária do Mestrado, Maria Natalina, além de outros professores do Programa e discentes do curso de pós pelo apoio durante o curso. “Recebi muito apoio da parte de todos. Me sinto honrada por ter sido discente do mestrado. Meus mais sinceros agradecimentos à UENP por tornar possível a estudantes estrangeiros como eu, a possibilidade de cursar uma pós-graduação stricto sensu com um excelente nível de qualidade. Foi enriquecedor e ficará para toda minha vida”, partilhou.

Além de estudantes, o mestrado em Ciência Jurídica da UENP recebe, todos os anos, há mais de uma década, professores visitantes por meio de parcerias internacionais. O primeiro acadêmico estrangeiro a cursar o programa de pós-graduação na área do Direito da UENP foi Aristóteles Boaventura da Costa Massaque, de Angola.

 

Última modificação: Sexta, 08 Junho 2018 16:44
Compartilhe:

UENP-CJ - ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES